top of page

Mpungos

A crença nos Mpungos é um dos pilares da crença Kimbiza. Essas forças desempenham um papel fundamental na vida do Paleros, sendo responsáveis em nos auxiliar em todos os assuntos materiais, assim como nos conectar com Nzambi.

istockphoto-1438588617-612x612 (1).jpg
Santa Ceia (Post para Instagram (Quadrado)).png
  • Os Mpungos são seres criados a partir de luz, sem livre arbítrio, criados para cumprir as ordens de Deus e adorá-Lo sem cessar.

  • Os Mpungos têm o papel de transmitir as mensagens de Deus a humanidade, evidenciando a conexão direta entre o divino e a humanidade.

  • Mpungos protegem os fiéis, guiando-os para o bem e afastando-os do mal, além de registrar suas ações boas e más.

  • Eles distribuem as provisões e executam castigos, agindo como agentes da vontade de Deus e mantenedores da ordem cósmica.

 

No Palo Kimbiza, os Mpungo (em Zulu significa: Puro) são considerados seres espirituais criados por Deus a partir de luz, desempenhando diversos papéis dentro da cosmologia Kimbiza.


 

Eles são vistos como criaturas puras, sem livre arbítrio, criadas para adorar a Deus e cumprir Suas ordens no universo.


 

Diferentemente dos seres humanos, os Mpungos são incapazes de desobedecer à Deus e estão sempre em estado de obediência.


 

Eles executam uma variedade de funções, incluindo a revelação de mensagens divinas aos fiéis, a gravação das ações dos seres humanos, a glorificação de Deus, e a execução de tarefas específicas no mundo natural e no além.


 

Natureza e Criação dos Mpungos


 

No Palo Kimbiza, acredita-se que os Mpungos foram criados por Deus antes da criação dos seres humanos, a partir de luz (Pole).


 

Eles são seres imateriais, livres de necessidades físicas como fome, sede ou cansaço, e não possuem livre arbítrio no sentido humano.


 

Sua existência é dedicada exclusivamente ao serviço e à adoração de Deus, e eles executam as ordens divinas com perfeita obediência.


 

A capacidade dos Mpungos de permanecerem em constante adoração os diferencia dos humanos, que foram criados livres para escolher entre a obediência e a desobediência.


 

Funções dos Mpungos


 

Os Mpungos desempenham uma ampla gama de funções no Palo Kimbiza, algumas das quais incluem:


 

  • Comunicação Divina: Lucero Mundo é o mais conhecido por este papel, agindo como o mensageiro entre Deus e os devotos, ele é o comunicador, o poliglota, o que detém a chave que abre todas as portas.

  • Registro das Ações Humanas: alguns Mpungos são designados para cada pessoa para registrar suas boas e más ações.

  • Proteção e Guarda: Alguns Mpungos protegem os indivíduos de perigos físicos e espirituais.

  • Glorificação de Deus: Muitos Mpungos estão envolvidos na constante adoração e glorificação de Deus.

  • Execução de Decretos Divinos: Mpungos como Centelha Ndoki, a Mpungo da Morte, têm funções específicas na ordem do universo, como a retirada das almas dos corpos no momento da morte.

     

Kimpugulu, O Santoral Congo

  • Lucero Mundo, também conhecido como Papa Legba, Elegua, Eshu: Considerado o principal mensageiro de Deus, ele é o comunicador entre os humanos e os outros Mpungos, é ele que transmite toda mensagem, levando os pedidos e trazendo as respostas, ele é o que remove obstáculos e oferece oportunidade.

  • Sarabanda, também conhecido como Ogum, Ogou: Encarregado de prover chuva e sustento, Sarabanda é frequentemente associado à misericórdia de Deus para com Suas criaturas, também encarregado de fornecer emprego, proteção, profecia, magia, cura de doenças sanguíneas.

  • Siete Rayos, Também conhecido como Chango, Xamgô, Chángò, Nsasi: Conhecido como o guardião da Village ya Nzambe (Aldeia de Deus), Siete Rayos é responsável por cuidar das portas do Céu e receber as almas dos fiéis, assim como fornecer poder, derrotar inimigos, trazer vitória e sensualidade.

  • Ma Kalunga, também conhecida como Yemanjá, Baluandé, Ma Kalunga, Madre de Água: Ma Kalunga é a Deusa da Criação e muitas vezes é representada como uma sereia. Ela está associada à lua, ao oceano e aos mistérios femininos. Como tal, ela governa o lar e assuntos relacionados às mulheres, incluindo parto, concepção, segurança infantil, amor e cura. Extremamente compassiva e misericordiosa, Ma Kalunga controla o tempo dos sonhos, supervisiona a Lua, segredos profundos, sabedoria antiga, água salgada, conchas do mar e o inconsciente coletivo.

  • Mama Chola, também conhecida como Oshum, Chola Wengue, Chola Nwengue, Siete Ríos: Mama Chola é uma Mpungo (manifestação espiritual) do amor, intimidade, beleza, riqueza e diplomacia. Segundo os anciãos Paleros, Mama Chola é a "mãe invisível presente em toda reunião", porque Mama Chola é a compreensão iorubá das forças cosmológicas da água, umidade e atração. Portanto, ela é onipresente e onipotente. Seu poder é representado em um texto iorubá que nos lembra que "ninguém é inimigo da água" e, portanto, todos precisam e devem honrar, respeitar e reverenciar Mama Chola.

  • Centelha Ndoki, também conhecida como Oyá, Kariempembe, Mariwanga, Centella: A guardiã do Inferno. Ele supervisiona os Mpungos que punem as almas dos condenados, Centelha Ndoki é a mãe das disfarces e usa muitas máscaras. Ela é revolucionária, eficiente, determinada e indispensável em situações de emergência. Centelha Ndoki é a Mpungo da transformação. Ela está associada ao búfalo e é conhecida por usar feitiços e magia como uma das "Grandes Anciãs da Noite (Bruxas)".

  • Tiembla-Tierra, Também conhecido como Obatalá, Mama Kengue: Tiembla-Tierra é o Deus criador, símbolo de paz e pureza, Pai da humanidade e mensageiro de Olofi, o governante do Mundo. Sua cor é branca, contendo todas as cores do arco-íris. Ele rege a mente e o intelecto, o equilíbrio cósmico, o masculino e o feminino. Tiembla-Tierra é comparado à padroeira Nossa Senhora da Misericórdia.


 

Perspectivas Teológicas e Espirituais


 

Os Mpungos, em sua pura obediência e adoração contínua a Deus, refletem a grandeza e a unicidade de Deus (Bomoko ya Nzambe).


 

Eles servem como constantes lembretes da ordem e harmonia que Deus estabeleceu no universo.


 

Ao cumprir suas tarefas sem desvio ou falha, os Mpungos exemplificam a perfeição da criação divina, contrastando com o livre arbítrio dos seres humanos e ancestrais, que são capazes de desobediência e pecado.


 

Os Mpungos funcionam como pontes entre Deus e a humanidade, comunicando a vontade divina, guiando e protegendo as pessoas, e implementando as leis cósmicas de Deus.


 

Esta função intermediária destaca a misericórdia de Deus pela criação, facilitando uma conexão espiritual mais profunda entre os Paleros e o divino.


 

Ao reconhecer a presença e ação dos Mpungos, os Paleros são constantemente lembrados da proximidade e do cuidado de Deus.


 

Os Loas são exemplos supremos de Losambo (adoração) e Kosalela Nzambe (servidão a Deus).


 

Eles adoram Deus incessantemente e executam suas tarefas com total submissão.


 

Esta adoração contínua serve como um modelo ideal para os Paleros, encorajando-os a integrar a lembrança de Deus (Kokanisa Nzambe) e a obediência em suas próprias vidas.


 

A existência dos Mpungos reforça a ideia de que toda a criação, de uma forma ou de outra, participa na glorificação de Deus.


 

O conhecimento sobre os Mpungos ajuda a cultivar a humildade e a consciência espiritual nos corações dos devotos.


 

Ao perceber a vastidão da criação de Deus e o papel especial que os Mpungos desempenham nela, os Paleros são lembrados de sua própria pequenez e da necessidade de dependência de Deus.


 

Além disso, a crença nos Mpungos ajuda a reforçar a consciência de que cada ação é observada e registrada, incentivando os fiéis a viverem vidas retas e virtuosas.


 

A crença nos Mpungos é parte da crença no envizib (o Invisível), um dos pilares da crença Palera.


 

Aceitar a existência dos Mpungos requer fé na sabedoria e no conhecimento de Deus, além do que é imediatamente perceptível aos sentidos humanos.


 

Isso fortalece a fé dos Paleros no sobrenatural e no poder divino, ampliando sua compreensão do mundo além do material e tangível.


 

Importante destacar que, mesmo com essa crença, os Paleros não idolatram os Mpungos, pois toda adoração deve ser direcionada somente a Deus, entendemos que os Mpungos são canais de comunicação, pois nosso corpo limitado nos impede de nos conectar diretamente com a essência pura de Deus.

bottom of page