top of page

Gênesis Qayinita - Capítulo I: No Início


Gênesis Qayinita - Capítulo I: No Início

Capítulo I: No Início


  1. No começo dos tempos, havia algo chamado Ain, um vazio absoluto onde a divindade começou sua jornada.

  2. A Essência Divina de Zeroth estava concentrada em um ponto infinitamente unificado, sem limites de espaço ou tempo.

  3. Nesse caos sagrado do Pleroma da divindade, todos eram um e nada ao mesmo tempo.

  4. Nesse estado de possibilidade e niilismo, todas as sementes da manifestação coexistiam.

  5. Quando a divindade ignorante caiu sobre Ain, uma parte dela se separou e veio a conhecer a si mesma.

  6. Essa facção buscou se limitar, causando uma divisão e a dualidade original se manifestou como Ain Sof.

  7. Uma parte queria separar-se da Plenitude, enquanto a outra buscava retornar ao Caos Primordial.

  8. Essas manifestações divididas tornaram-se raios de luz, brilhando como Luz Branca da Restrição e Luz Negra da Libertação.

  9. A Luz Branca manifestou-se como Ain Sof Aur, focando em criações queridas, separadas e confinadas para se conhecer.

  10. A Luz Negra manifestou-se como Sitra Ahra, buscando refletir o Caos de Ain e reconectar-se a ele.

  11. Enquanto a Luz Branca buscava separação, a Luz Negra buscava unificação e totalidade.

  12. A Luz Negra queria não apenas se separar, mas também restaurar a Plenitude e trazer de volta a parte caída da Divindade.

  13. A Luz Branca ignorou a Luz Negra e focou em Ain Sof Aur, emitindo formas sucessivas.

  14. A Luz Branca causou a queda do Espírito Divino, formando a Pérola de Sabedoria dentro de Ain Sof Aur.

  15. A Luz Negra viu a tolice da Luz Branca, percebendo a conexão com a Pérola do Espírito Desperto.

  16. A Pérola da Sabedoria sentiu a conexão e ansiou pela reintegração e união.

  17. A queda da Luz Branca resultou no nascimento do Demiurgo, cego para sua verdadeira natureza espiritual.

  18. O Demiurgo, em seu estado esquecido, se declarou divino de seu trono.

  19. O Demiurgo causou a queda de sua essência, formando esferas e elementos de confinamento.

  20. Cada emanação sucessiva diluiu a Luz Divina, escurecendo a essência espiritual na criação.

  21. O Demiurgo cresceu na escuridão, tornando-se divindade de luz, mas ignorante e esquecido.

  22. Sua escuridão evoluiu, e ele ansiava pela essência espiritual perdida.

  23. Na ignorância, o Demiurgo viu a Pérola de Luz, desejando sua luz para extinguir a escuridão.

  24. A Pérola foi refletida como uma ilusão, envolvida e presa na escuridão do Demiurgo.

  25. A Pérola viu o reflexo abaixo e desceu, caindo na armadilha do Demiurgo.

  26. O Demiurgo, em sua arrogância, alegrou-se com a queda da sabedoria, mas permaneceu ignorante.

  27. A Pérola caiu na escuridão, causando a queda da sabedoria, mas permaneceu ignorante.

  28. A Divindade na Luz Negra cresceu em raiva e compaixão pelos fragmentos cegos da Luz Divina no domínio do Demiurgo.

  29. Decidiu agir para restaurar a Plenitude e resgatar os aspectos divinos perdidos.

  30. A Luz Negra assumiu a Causa da Oposição para libertar a criação da restrição.

  31. Para cada ação do Demiurgo, a Luz Negra criaria uma antítese para anular as abominações da Luz Branca.

  32. A Luz Negra, astuta, evitou cair nas armadilhas do Demiurgo, manifestando-se como um Duplo Gêmeo Divino.

  33. O Demiurgo, um ponto tirânico, foi neutralizado pela manifestação dinâmica da Luz Negra.

  34. O Demiurgo, limitado por suas leis, contrastava com a Acausalidade da Luz Negra.

  35. Onde o Demiurgo causou divisão, a Luz Negra permaneceria unida e conectada à fonte.

  36. O Demiurgo, cercado por círculos de limitação, seria quebrado pela expansão eterna da Luz Negra.

  37. A Luz Negra defendia a liberdade e o Caos como a única Lei.

  38. Onde o Demiurgo preservava formas, a Luz Negra permitiria a expansão eterna.

  39. Para a Árvore da Vida do Demiurgo, a Luz Negra ergueu uma Árvore da Morte para acabar com a restrição.

  40. A Luz Negra assumiu formas opostas para neutralizar a criação demiúrgica.

  41. Como Adversário de Dois Aspectos, a Luz Negra atuaria como base dupla para todas as manifestações divinas.

  42. Onze manifestações da Luz Negra foram entronizadas para combater os Dez Demiúrgicos.

  43. A Luz Negra manteve a conexão entre seus aspectos polares e permaneceu unificada em Tohu, Bohu e Chasek.

  44. A Luz Negra, como Thaumithan, buscou unificar os aspectos masculinos e femininos da Divindade.

  45. A Luz Negra buscou a união entre os aspectos polares, superando a divisão inicial.

  46. Os opostos polares masculinos e femininos da Luz Negra foram gerados, incluindo Satanás/Samael e Lilith/Taninsam.

  47. Satanás/Samael e Lilith/Taninsam foram entronizados para neutralizar o Demiurgo e suas criações.

  48. A Luz Negra liderou uma anti-criação para subverter a existência restritiva da Luz Branca.

  49. O Demiurgo, ignorante da Oposição, continuou a explorar sua criação, decidindo criar o homem à sua imagem.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page