top of page

Gênesis Qayinita - Capítulo V: A Libertação de Eva


Gênesis Qayinita - Capítulo V: A Libertação de Eva

Capítulo V: A Libertação de Eva


  1. Adão e Eva se estabeleceram no mundo em que agora haviam sido condenados e ali construíram seus novos lares.

  2. Neste mundo de sofrimento tudo era amargo, fedorento, hostil e informe e criado para causar nada além de desconforto e angústia.

  3. Aqui Adão e Eva, em seu estado de esquecimento, trabalharam e puderam suportar.

  4. Com o tempo, os gêmeos de Sataninsam cresceram dentro de Eva, cujo espírito agora havia sido fortalecido e integrado ao dela e, finalmente, a hora de seu nascimento se aproximava.

  5. Mas, já no ventre de Eva, os gêmeos do Espírito Desperto sentiam amor e saudade um do outro, pois suas Essências Divinas buscavam instintivamente mais União e Completude.

  6. Dentro desses gêmeos não nascidos, havia um desejo do aspecto divino, cujo único ponto havia sido a Pérola da Sabedoria, para fazer a força da Noite e o desejo de sentir as frações emanadas da Luz Negra retornarem todos para eles a plenitude do caos dentro do Ain, isso se tornou um e se ampliou em intensidade, devido à sinergia de empoderamento dado e recebido por sua fusão.

  7. Quando Eva deu à luz seus filhos, a Chama do Espírito Transformado da Luz Divina, que estava presa dentro dela, escapou de seu ser e o destino cósmico que ela já teve e ao qual foi acorrentada saiu como “um” fundido com o duplo chamas do Espírito Desperto, queimando dentro dos dois Filhos da Serpente através de Eva, que em mais maneiras do que uma refletiam através de suas essências a Sagrada Causa da Divindade Gêmea e todas as outras manifestações da Luz Negra de Sitra Ahra.

  8. No momento de seu nascimento, a maldição do mundo e as limitações da carne do corpo de barro foram colocadas sobre seus aspectos finitos, mas, ainda assim, eles permaneceram fortalecidos e abençoados pelo ardor do Espírito Santo dentro deles.

  9. O primeiro a sair do ventre de Eva foi o menino, seguido por sua preciosa irmã gêmea.

  10. Quando Eva viu a beleza brilhante dos dois filhos de quem ela havia dado à luz, uma memória reprimida veio a ela, uma memória que se agitou dentro dela quando a luz do Espírito brilhou dentro e ao redor dos gêmeos, uma luz que continha não apenas o que uma vez dentro dela, mas também o que havia dentro daquela amada Serpente que ela conheceu, mas já havia esquecido.

  11. Ao contemplar seus filhos, viu que eram seus descendentes, por sua luminância e beleza cósmica, por não serem seres de natureza terrena, percebeu por um momento que não pertenciam à semente de Adão, mas que eram poderia pertencer a um ser Alienígena ou de Origem Divina, mas afligida pela maldição do Demiurgo ela não conseguiu manter sua memória da verdade.

  12. A criança do sexo masculino chamava-se Qayin e a da menina era Qalmana e através deles uma luz foi trazida para a masmorra da qual a humanidade havia sido condenada.

  13. Desde o primeiro momento de sua aparição, Qayin e Qalmana buscaram a companhia e o conforto dos outros, como dois estranhos em um mundo desconhecido, eles instintivamente sentiram que além um do outro, não tinham outros iguais no mundo do qual agora participavam.

  14. Eles eram como duas chamas nascidas do mesmo Fogo Inato, e vendo esses filhos maravilhosos, Eva e Adão, eles se alegraram e pela primeira vez desde sua expulsão do Jardim do Éden eles se sentiram esperançosos e alegres.

  15. Adão e Eva, portanto, decidiram ter muitos outros filhos como seus dois primeiros e apenas 10 meses após o nascimento de Qayin e Qalmana, eles deram à luz outro par de gêmeos, novamente um filho e uma filha. Desta vez, o filho gerado por Adão através de Eva foi nomeado Abel e a filha foi nomeada Kelimat.

  16. Ao contrário de seus primeiros gêmeos, essas crianças careciam de beleza exterior e estavam totalmente afligidas com a maldição lançada sobre todos os nascidos do barro, pois eram sem espírito e possuíam apenas almas semelhantes a animais humildes.

  17. Na época de seu nascimento, era dolorosamente aparente para Adão e Eva que seu segundo par de gêmeos era diferente de Qayin e Qalmana, isso entristeceu e irritou os dois, pois onde havia um halo de luz envolvendo Qayin e Qalmana, em Abel e Kelimat havia apenas escuridão ao redor e dentro deles, seus dois últimos filhos tendo herdado a mesma escuridão e falta de espírito que Adão e Eva possuíam, uma escuridão tão igual quanto eles tinham visto por tanto tempo em ambos.

  18. Qayin e Qalmana, que nasceram com a chama do Despertar e a força do Espírito Desperto, Abel e Kelimat nasceram apenas do barro, sem qualquer centelha daquele Espírito Imortal e sem a vida do divino.

  19. A decepção que Adão e Eva sentiram fez com que seus corações esfriassem em relação aos filhos Qayin e Qalmana, eles basearam seu ressentimento, ciúme e ignorância para começar a favorecer Abel e Kelimat, com quem tiveram um relacionamento verdadeiro; em vez da inferioridade inconsciente que sentiam toda vez que olhavam para seus dois filhos primogênitos.

  20. Assim, criou-se uma divisão entre o espírito dotado e o espírito não dotado, o que fez com que se abrissem caminhos diferentes e caminhos separados fossem estabelecidos para cada um deles. Além do mundo ao qual foram condenados.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page