top of page

Gênesis Qayinita - Capítulo XIII: O Dilúvio


Gênesis Qayinita - Capítulo XIII: O Dilúvio

Capítulo XIII: O Dilúvio


  1. O Demiurgo decidiu destruir o homem que havia criado apagando-o da face da terra, tanto os que carregavam o sangue antinatural quanto os que carregavam o sangue de Adão se mostraram indignos aos seus olhos, pois não haviam sido capaz de resistir à ilegalidade blasfema que profanou sua criação e minou sua própria lei tirânica.

  2. Ele queria a morte sobre todos eles, porque estava realmente arrependido de tê-los criado e assim involuntariamente abriu a porta para forças desconhecidas que agora tomavam o poder como os de um incêndio florestal que se espalhou dentro de sua criação.

  3. O irado criador decidiu afogar todos os seres da terra em um dilúvio com as águas amargas de sua própria ira, mas antes de fazer isso, ele avisou seu escolhido Noé, e o instruiu com a ajuda de seus anjos a construir uma arca e que ele iria preenchê-lo com um macho e uma fêmea de cada espécie de animal, o mesmo com os pares de qualquer outro ser vivo na terra seca.

  4. A fim de manter viva a linhagem de Seth, foi concedido a Noé salvar sua própria família, que consistia em sua esposa, seus três filhos e suas três esposas.

  5. Todos os outros na face da terra foram condenados à morte pelo tirano e cego Demiurgo.

  6. O enfurecido Demiurgo decidiu punir os Observadores Caídos e ordenou que seus Arcontes, liderados por Raphael e Gabriel, descessem à terra com seus vastos exércitos, que superavam em número todos os seres vivos.

  7. Esses anjos acorrentaram todos os Vigilantes Caídos e os forçaram a assistir ao massacre de seus próprios filhos amados, ou seja, a Raça Nephilim, que era uma raça nascida do fogo.

  8. Antes desse grande dilúvio, todo o sangue deles seria lavado da face da terra, que havia sido contaminada por eles.

  9. Os chefes da linhagem Qayin e Qalmana tiveram a graça do Espírito, que os advertiu sobre os eventos que aconteceriam com eles e os preparou para o derramamento de sangue e este dilúvio.

  10. Eles fortaleceram certos limites e plantaram suas Sementes do Fogo Selvagem onde permaneceriam escondidas e durariam apesar dos decretos do tolo Chefe Arconte.

  11. Visto que pela astúcia da Serpente tinham entre os escolhidos do próprio Demiurgo, a família de Noé, nesta havia um ventre fértil que se dispôs a carregar aquela semente ígnea.

  12. Assim, a Semente da Serpente Sataninsam poderia ser semeada secretamente em um solo receptor e com o tempo mais uma vez traria os Poderosos (Gibborim) sobre a face da terra amaldiçoada.

  13. As próprias forças da existência do lado diurno voltaram-se contra os Arautos do Despertar do Espírito e da Libertação, isto é, contra os líderes encarnados daqueles espíritos rebeldes do céu que foram então amarrados, torturados, levados à destruição e contemplar o mal, trazido sobre suas famílias pela vontade do escravizador.

  14. Mas o que os Arcontes podiam matar era apenas o que seu Criador havia feito, pois o Espírito Desperto dentro daqueles mortos ia além do que poderia estar além de seu alcance e pertencia a uma força além de seu próprio Deus sem Espírito.

  15. Os Nephilim assassinados e todos aqueles outros mortos amaldiçoados da Linhagem do Fogo, tornaram-se espíritos libertos da prisão da carne devido às suas conexões com a noite, outros caminhos e portas para aquele outro lado que se abriram em vida, com muitos deles sendo capazes de transcender para o Lado da Luz Negra e habitar o reino da Terra Noturna (Nahemoth), enquanto outros permaneceram presos em lugares dentro desses mundos, esses espíritos permaneceram dentro desses pontos liminares e sentaram-se para que pudessem se unir aos elementos da terra, auto-absorvidos pelas ações de Qayin e Qalmana e, portanto, viam esses lugares como mais acolhedores e adequados às suas próprias naturezas espirituais.

  16. Outros mortos se tornaram espíritos de vingança, jurando tomar posse da criação do Demiurgo e encarnar em recipientes adequados sempre que possível, para se opor ao escravizador e minar seu governo tirânico de dentro de sua própria criação, até que a Luz Negra do Espírito prevalecesse e a libertação fosse dotado para todos.

  17. O Demiurgo deu ordem para que os dois principais líderes dos Vigilantes fossem acorrentados para que assim, sempre sofressem por todas as gerações.

  18. Qalmana foi amarrado com correntes de ferro e colocado sob uma montanha de escuridão, localizada no deserto de Dudael, enquanto o outro chamado Shemyaza, foi acorrentado de cabeça para baixo sobre a constelação de Orion.

  19. Isso foi feito para separá-los e para que cada um sofresse no submundo e o outro sofresse no céu, para que pudessem ver o que aconteceria com a terra que usurparam.

  20. O Demiurgo havia feito isso mais uma vez, devido à sua ignorância e arrogância ele havia cometido outro erro que permitiria que as Influências da Unidade dos Espíritos do Lado dos Anjos e do Lado de Sataninsam através da Linhagem de Qayin e Qalmana permanecessem conectado dentro de sua criação para minar sua existência espiritual.

  21. Dentro da escuridão do submundo, Qalmana poderia entrar na Terra da Noite por um lado e permanecer dentro da criação do Demiurgo, onde ele estava ligado com o outro, tornando-se assim o Senhor das Encruzilhadas e as interseções entre a Árvore das Mentiras, Conhecimento e Morte.

  22. Da mesma forma, Shemyaza tornou-se o guardião do ponto de entrada da estrela para as forças da noite, para ele as conexões feitas por meio de seu próprio espírito unido tornaram-se uma ponte.

  23. Desta forma, os tronos da rebelião ctônica e astral dentro deste mundo se sentaram para os dois amaldiçoados à danação eterna, sofrendo pelo sádico e estúpido Demiurgo.

  24. A terra foi tingida de vermelho pelo sangue dos sem alma que o próprio Demiurgo afogou em sua superfície, cobrindo toda a terra com águas amargas por 40 noites e 40 dias, os únicos sobreviventes foram aqueles que ele conhecia, e aqueles eram todos os que estavam dentro Arca de noé.

  25. A terra então tornou-se em pouco tempo um lugar repovoado, com o renascimento das raças do homem e sua própria natureza conseguindo devidamente semear do outro lado, a oposição mais uma vez tomou forma.

  26. Porque estava escrito que havia gigantes na terra naqueles dias antes do dilúvio; e também depois disso, então a linhagem continuou a resistir e o lado de Qayin ainda permaneceu, e também ele e sua noiva, tanto em almas quanto em espíritos, deste lado e do outro lado.

  27. A hostilidade da natureza para com seu próprio criador, como assim explicado, e alguns dos aspectos fundamentais dos mistérios da Linhagem do Fogo e do Culto de Qayin e Qalmana são aqui velados e revelados.

  28. Que a santidade da semente proibida da Serpente de Duas Cabeças permita que o conhecimento triunfe sobre todas as blasfêmias e faça com que os vislumbres da divindade que estão presos em seu estado miserável caiam por toda a criação, até que se tornem aspectos redimidos e libertos a semeadura e colheita da Morte Sinistra, incitada pela Luz Negra da Verdadeira Divindade.

0 visualização0 comentário

Commentaires


bottom of page